"Fortalecei os vossos corações"
A imagem de capa desta campanha é uma adaptação da imagem da campanha da Diocese de Lisboa “Do coração de Deus ao coração da família e do mundo”

A mensagem que o Papa Francisco dedicou ao período de preparação para a Páscoa deste ano tem como título “Fortalecei os vossos corações e exorta a sociedade e a Igreja, a combaterem a “globalização da indiferença” que hoje atinge o mundo. Francisco lembra-nos que “quando estamos bem e comodamente instalados esquecemo-nos facilmente dos outros, não nos interessam os seus problemas, nem as tribulações e injustiças que sofrem. Assim, o nosso coração cai na indiferença”. Trata-se de uma “atitude egoísta de indiferença que atingiu uma dimensão mundial tal que podemos falar de uma globalização da indiferença”, e este é um mal-estar que os cristãos têm obrigação de enfrentar, alerta Francisco. Para não nos deixarmos absorver por essa “espiral do terror e da impotência”, Francisco recomenda a oração, os gestos de caridade e o reconhecimento do sofrimento do próximo como um apelo à conversão. Exorta-nos, ainda, a viver este tempo de Quaresma como um percurso de formação do coração, para superar essa indiferença. Segundo as suas palavras “ter um coração misericordioso não significa ter um coração débil. Quem quer ser misericordioso precisa de um coração forte, firme, fechado ao tentador mas aberto a Deus; um coração que se deixe impregnar pelo Espírito e levar pelos caminhos do amor que conduzem aos irmãos e irmãs.” E se o nosso coração for semelhante ao de Jesus “teremos assim um coração forte e misericordioso, vigilante e generoso, que não se deixa fechar em si mesmo nem cai na vertigem da globalização da indiferença”.

5A5A4568-EditarFortalecei os vossos corações é a nossa proposta de vivência da quaresma, inspirada na campanha Deus é amor, alegra-te, anuncia[1], que vai ao encontro da mensagem do Papa Francisco. Esta caminhada desafia os catequizandos, as suas famílias e a comunidade, a mudar as atitudes e comportamentos que conduzam à indiferença e a assumir compromissos que os levem a uma maior proximidade com os outros. O que posso mudar na minha maneira de ser, na minha maneira de estar para me tornar mais próximo do outro? Que devo fazer para transformar o meu coração e torná-lo semelhante ao de Jesus?

Que no final desta caminhada, possamos todos olhar para Cristo Ressuscitado com um coração forte e misericordioso, conscientes do Seu grande amor por nós.

[1] Campanha para a Quaresma da Diocese de Coimbra.

Anúncios