Os acólitos da Paróquia da Lombada foram convidados a participar na celebração da Festa de São Cristovão, no dia 29 de Maio, na Paróquia do Piquinho, em Machico. A Eucaristia em honra de São Cristovão, padroeiro dos motoristas e dos viajantes, foi celebrada pelo Sr. Padre António Ramos e concelebrada pelo Sr. Padre Manuel Ornelas na Capela da Quinta de São Cristovão. Três dos acólitos da nossa paróquia, juntamente com três acólitos da Paróquia do Piquinho, acolitaram a celebração eucarística.

Após a Eucaristia a imagem de São Cristovão foi levada aos ombros desde a capela até à estrada principal, onde foi colocada em cima de um automóvel embelezado com flores e seguiu em procissão por alguns sítios de Machico, voltando à capela de onde saiu. Todos aqueles que acompanharam a procissão com os seus automóveis foram aspergidos com água benta e receberam um postal e um chaveiro com a imagem do Santo Cristovão.

A Paróquia da Lombada agradece, em nome dos acólitos, o convite endereçado pelos acólitos do Piquinho e a forma carinhosa e alegre como os receberam e aos seus responsáveis.

São Cristovão
Padroeiro dos viajantes e motoristas

2016-05-29-13.35Muito pouco de histórico se sabe sobre a vida e a morte de São Cristóvão, mártir que protagoniza várias lendas medievais. A famosa delas vem da “Legenda Áurea”, uma compilação de histórias de santos popularizada no século XIII. De acordo com esse relato, um rei pagão do Oriente teve um filho graças às preces da esposa. O bebê, chamado Reprobus, foi consagrado ao deus Apolo e, ao crescer, tornou-se um jovem extraordinariamente robusto e forte. Decidido a trabalhar somente para homens igualmente bravos e fortes, ele acabou servindo a um grande rei e a um indivíduo que se dizia o próprio Satanás, mas acabou achando que faltava coragem a ambos: afinal, o primeiro tinha medo do diabo e o outro se assustava com a cruz. Depois, encontrou um eremita que o educou na fé cristã e o batizou. Reprobus, porém, não quis fazer jejum nem orações a Cristo, mas, a pedido do seu catequista, aceitou ajudar as pessoas a cruzar um rio caudaloso. Certa vez, ele ajudou uma criança a atravessar o rio carregando-a nas costas. Mas a criança ficava cada vez mais pesada e Reprobus tinha a sensação de que o mundo inteiro estava sobre os seus ombros. Terminada a travessia, a criança revelou que era o Criador e Redentor do mundo, sobrecarregada ela própria com o peso de todos os pecados da humanidade. Cristo também ordenou que Reprobus fixasse o seu bastão na terra. Na manhã seguinte, havia crescido no mesmo local uma grande palmeira, que serviu como sinal para a conversão de muitos. Reprobus passou a ser chamado de Cristóvão, que significa “aquele que carrega Cristo” (em grego, Χριστόφορος, ou Christóphoros). O rei da região, irritado com a história, mandou prender e decapitar Cristóvão.

Texto retirado do sítio pt.aleteia.org

Anúncios