16358580_1201516049962574_910703178_nHoje em dia, a humanidade não dá tanta atenção à caridade como em tempos passados, o que é preocupante. O Papa Francisco, diz-nos que «o cristianismo é uma religião prática: não é para pensá-la, é para praticá-la, para a fazer». As obras de misericórdia constituem, assim, um bom programa de vida para o cristão. Algumas das obras de misericórdia (as corporais) dão ênfase à caridade: dar de comer a quem tem fome, dar de beber a quem tem sede, vestir os nus… Embora hoje em dia, a humanidade não dê tanta atenção à caridade como em tempos passados há sempre aqueles que dão uma parte de si aos outros e fazem a diferença. Na verdade, uma das maiores caridades feitas no mundo é o voluntariado. Existem milhões de associações no mundo, e só em Portugal são centenas! Como exemplos temos: a Liga Portuguesa Contra o Cancro, a Cruz Vermelha Portuguesa; a Cáritas, e a CASA (Centro de Apoio ao Sem Abrigo). Podemos perguntar o que é que isto tem a ver com a vida Cristã? A caridade tem tudo a ver, porque são estas pessoas que, certamente, têm uma melhor vivência cristã, relativamente àquelas que não praticam nenhuma ação de caridade para com os irmãos. Deste modo, a mensagem que vos deixo em reflexão é a seguinte: “Um homem ou uma sociedade que não reaja diante das tribulações ou das injustiças e não se esforce por as aliviar, não é um homem ou uma sociedade à medida do amor no coração de Cristo”.

Igor Fernandes – Paróquia de Gaula
in “a semente nº 10

Anúncios