Nesta semana Jesus conta-nos uma bela história, conhecida pela “Parábola do Semeador”. E quando nos propomos fazer uma reflexão sobre o conteúdo da história é perturbador notar que a mesma semente foi plantada em cada tipo de terreno e os resultados foram diferentes: a mesma Palavra de Deus pode ser plantada nos nossos dias mas os frutos são determinados pelo nosso coração. Podemos receber a Palavra de Deus de várias formas: quando participamos na Eucaristia, quando pegamos na Bíblia e meditamos sobre um texto, quando levamos o boletim “a semente” e o lemos, quando, no silêncio, falamos com Deus e O escutamos com o coração… No entanto, existem à nossa volta grandes tentações a fazer com que os interesses mundanos dominem a nossa vida e não permitam que esta palavra produza raízes e dê frutos. Por vezes falta-nos a Fé que não deixa crescer o Evangelho nas nossas vidas, “aos cem, aos sessenta e aos trinta”… É urgente transformar o nosso “terreno” para deixar que Deus entre no nosso coração e produza sementes férteis e assim, tal como a Mariza, possamos cantar:
Hoje, a semente que dorme na terra
E se esconde no escuro que encerra
Amanhã nascerá uma flor.
Para, todos juntos, sermos as flores do jardim de Deus!
Proponho a cada um a resposta à questão…
Que espécie de “terreno” sou eu?…

Teresa Mata – Paróquia de Gaula
in a semente nº 34

Anúncios